Postagens

Mostrando postagens de 2009
Vamos falar de festas?Festas para quem, mesmo?Para os pais, para os filhos...os cunhados... as sogras....E, para os meninos de rua?E para as crianças sem futuro?Vamos festejar essa ignomínia?Então, aos que "têm ouvidos de ouvir"Que ouçam: feliz natal!Aos que têm olhos e forçasCapazes de usar a razãoSeja um natal onde, ao menos,uma criança não vá dormirsem o pão... meus irmãos.Falecido poeta - Cezar Lopes.

Morri de novo!

Andei por tantos caminhos... tantas verdades paridas...tamanhos os sofrimentos, que abracei, nesta vida...Agora só quero paz... sossego e a tal da bonança...Mas, se esta não vier... contento-mecom a ambulância... pois acho que morri de novo...Falecido Poeta - Cezar Lopes.

Amo como se eu soubesse

Ando sempre apressadosempre correndo pela vida
É que, se parar e refletir, sinceramente... meu tempo é tamanho pro pouco tempo que tem uma mera semente...
Vivo assim, sem rumo ainda que saiba aonde vou...
Amo a vida e a humanidade Amo, mesmo, quem nunca soube o que é o amor...
Como se eu soubesse... Falecido poeta Cezar Lopes.

O sr. Ninguém

Ventava forte naquele dia. Ele sempre fazia coisas estúpidas quando ventava. Dessa vez, estava decidido. Abandonaria aquele casamento de aparências. Nunca mais teria de bajular aquele bando de vaidosos por... Pelo quê mesmo? Por sua cordial benevolência, oferecendo-lhe generosamente o prazer de sua companhia? Permitindo-lhe, por sua superioridade evidente, que ele lhes servisse da forma mais humilhante possível, sempre com um sorriso de quem pede desculpas por existir. Era o tempo. Seria assim. Iria em busca da sua própria identidade.Raios e trovões avolumaram-se naquela noite. Os conselhos eram os mais diversos. Fica! Vai mesmo! Vai logo! Não faça isso! Já devia ter feito! A noite foi longa, mas finalmente acabou.Com o alvorecer, uma nova vida, um novo caminho se lhe apresentava. Poderia escolher, tinha a liberdade para reconstruir, ou, finalmente, construir, seu futuro. Ele estufou o peito ao mirar-se no espelho. Sorriu para seu reflexo... Reflexo? Mas ele não tinha reflexo. Não pas…

Das ruas

Tenho a vida à flor da pelesinto as dores do mundo...Vejo os arvoredos das ruas de Buenos Aires...as ruas de Montevidéu...chorando, languidamentecomo choram as ruasdo bom fimda cidade baixaregando o calçamentode paralelepípedorefletindo a solidãodas estrelase dos homens...Afinal, onde estão meus brinquedos?Diria Quintana...Falecido poeta Cezar Lopes.

As vacas são mais felizes

Andei por tantos caminhoslonge da pequeneza mundanaque hoje me sinto sozinhoentre essa multidão bovina,que só conhece o limitede seus próprios, pequenos,feitos...Luto pra ter respeitopor suas limitaçõesmas, lhes juroé bem difícil...A mesquinhez é um vício,o egoísmo, um erro,a vaidade é o levedoque fermenta e inflaesses egos...Pobres seres, cegosdesconhecem a magnitudeda diversidade...e pensam que são felizes.Falecido poeta Cezar Lopes.

Homem

Homem, correteus dias são finitosteus sonhos são de açúcarderretem-se com tuas lágrimas...Homem, não te abate,ainda que tenhas vontadepois a vida não teme nunca teve, mesmoqualquer sombra de sentidoImporta, portanto, para tiviver e morrer serenoposto que o teu tempoé pequenoe o sofrimentoé venenoPara que encurtar distâncias?Se a distância não muda?Deixe estar, saia do sérioMas deixe pra trás teus malespois esses vêm aos milharese a bonança é uma vagaque te abençoa e te afogaque mata teu corpoe limpa tua alma. Falecido poeta Cezar Lopes.

Ocupado

Ando tão ocupadoque nem posso mais sofrer sem sofrimento que resta a um poeta dizer?
Ora, não tenho a audácia daqueles que sabem mais sei tão pouco que com pressa só posso correr... que mais? Ah! Correr em paz!
Falecido poeta Cezar Lopes.

Nunca mais, corvo, nunca mais...

Não faço mais issode morrer aos poucos...Quando morrerque seja de uma vez e só...Meus amigosjá estavam loucos comigo...querendo me ver pó...Vivo ou morto...Meio um, meio o outronunca mais...Aos meus amigos, desejoque descansem em paz...Aos verdadeiros irmãosque jamais me abandonaramrepito o corvo de Poenunca mais, nunca mais...
Falecido poeta Cezar Lopes.

VERSOS ÍNTIMOS

Pois, por falta absoluta de palavras que melhor expressem o que tenho a dizer agora apenas citarei esse magnífico e incisivo poeta!Aproveitem! VERSOS ÍNTIMOS(Augusto dos Anjos)Vês?! Ninguém assistiu ao formidávelEnterro de tua última quimera.Somente a Ingratidão —esta pantera—Foi tua companheira inseparável!Acostuma-te à lama que te espera!O Homem, que, nesta terra miserável,Mora entre feras, sente inevitávelNecessidade de também ser fera.Toma um fósforo. Acende teu cigarro!O beijo, amigo, é a véspera do escarro,A mão que afaga é a mesma que apedreja.Se a alguém causa inda pena a tua chaga,Apedreja essa mão vil que te afaga,Escarra nessa boca que te beija!

Sufoco nosso de cada dia

Outro dia, outro sufoco"Nasce o sol e não dura mais que um..." mas, afinal, por quê duraria se só vivo uma vez por dia?
Mais uma batalha vencida outra verdade parida na distância que separa as rosas das margaridas
Sentem o perfume?
Falecido poeta Cezar Lopes.

Ah... nem te conto! Conto sim!

Vamos falar de floresagora que estou num jardim deixemos de lado as tristezas... elas passaram pois que, tudo passa e a Tragédia passou, também para mim...
Sinta o perfume sutil destas palavras gentis e guarde num canto só seu uma lembrança de mim assim... feliz.
Falecido poeta Cezar Lopes.

No fundo... mas não tão fundo...

No fundo, não presto...sou tão ruim quese realizasse meus desejoscausaria muitas desgraças...Por isso me policio...torno-me a antítese de mim...Pois que, não seria mais quecomumse minhas falhasnão tivessem fim em mim...Aparte isso, sou modesto demais...Hum! E ainda dizem que souarrogante!Detesto meus errosquando os reconheço nos outros...assim, detesto os outros...Ah, sociedade!Quanta vaidade... maso que é que os outrostêm a ver com isso?Bem, talvezmeu princípio...ou, quem sabeabsolutamente nada!Falecido poeta Cezar Lopes.

ora, amar!

Amar?Para quê? Se o que impota mesmo é o querer? E isso nada tem a ver com o amor. Falecido poeta Cezar Lopes

Do poeta

O poeta, mortoé um profeta vivo é um pateta... mas, há quem discorde, são os hipócritas. Falecido poeta Cezar Lopes.

O homem do tempo

O homem é um ser do tempo... e quem não conhece o valor de um segundo... Não pode querer o mundo... Ou um abraço sincero... Falecido poeta Cezar Lopes.

Poesia derradeira - Epitáfio

Passei por muitas angústias todas elas medidas, deixei de fora a ciência aprendi os quês da vida
Agora entendo o que sabia sei apenas o que sinto qualquer outra sabedoria é pura mentira ou mero instinto e instinto, é coisa de bicho.
Falecido poeta Cezar Lopes.

O Arroio das Tripas

No Beco do Arroio das Tripas (a origem desse nome é uma daquelas histórias que, quem diz não sabe e quem sabe não diz), como em qualquer outro beco miserável de uma grande cidade, as crianças não sabem ler ou escrever e sequer sabem como é uma escola.Sua imaginação, portanto, é alimentada pelas conversas dos pais e dos vizinhos que, invariavelmente, elegem um anti-herói como ícone de suas desditas. Esse é um costume transmitido de geração para geração.Um nome recente que ocupa o imaginário das crianças do beco é o Preto Fio. Com armas de fogo ou armas brancas esse rapaz de 16 anos tem atormentado os moradores do beco e desafiado a polícia de forma tão acintosa que, para alguns, ele tem o corpo fechado, para outros tem parte com o demônio e para as crianças tem um poder fantástico, pois é capaz de desviar balas com o olhar e as facadas desferidas contra ele só atingem a sua sombra.A vida seguia, assim, seu ritmo no beco. Até aquele dia em que, no último barraco da rua, que terminava pa…

Mãe, Luz da Vida

Faleceu a mãe de uma amiga(poderia se uma desconhecida!)disse-lhe o que sentia e sintosempre que uma mãe morre...Ela ficou, realmente, tocadaentendo o momento que vive,porém, reflita comigo:Poderia ser diferente?Quem não nasceu de mulherque diga, então, o contráriopois quem conhece o amormaterno, eterno, imutávelsó pode sentir-se sósempre que uma mãe falace.Bem sei que Deus, o CriadorEstender-Lhe-á Sua bênçãono entanto, a nós, pobreshomes, resta ainda umconsoloO bem que as mãesnos ensinaramforjará nossas atitudes...servirá, sem dúvida,para aplacar a durezaquem o dia-a-dianos apresenta.Agradeço a todas as mães,deste plano e dos demais...obrigado, dona Sulamita!Bendita seja sua prolepois que, deixaste conoscoo amor de mãe...única força que nos consolae torna suportáveltua ausência!Que o Supremo CriadorArquiteto desse mundoreceba-a em Sua glóriae nos conceda Suabênção, pois, nem Deusem Sua sabedoriaconcebeu a criação,e a redenção,sem a presença maternade Maria...da sua presença,dona Sula…

Regras rompidas

Regras rompidaspedaços dispersosde mimespalham-se portodo o Universo...Grilhões já não me prendema liberdadeera um mitoagora é realeu seieu sinto...Farei meu testamentoagoradeixoo que resta de mima quem puder entenderque o princípioencerra o fime outros começospara sempreamém.Cezar Lopes.

A visão

Na hora da bagunça, pega-pega e fuzuê, gritando correndo e pulando, não enchergo a mim, mas, aos outros. André Lopes - poeta mirim.

Lá sei eu!

Desafiado, respondoAinda que sintaA dor das ausênciasSofro e definho, sozinhoA falta de mimQue se foi...A ausência de um carinhoQue abandonouO ser...E deixou o estarPelo ter...Claro que entendo...Claro!É sedutora, a visão...Porém, ainda que sofra...Você estará sempre presenteEm meu coração...Quanto a mim?Que importa?Amei e fuiFeliz um dia...O maisÉ letra morta...Como eu em minha poesia.Cezar Lopes, 7/7/09 - sofrendo a última solidão das ausências... Vivendo o mundo profano e ainda, pagando o preço, das antigas aparências!

Ah pois é!

Viver é de graçaSer feliz requer um pouquinho de concentração Ser amado é de graça Amar requer nossa capacidade de observação... ao próximo... que é Deus... Nosso Deus.
Cezar Lopes.

Mar... jorie...

Teus versos são Valsas... Onda a embalar Teu ser no teu mar O infinito!
Em homenagem a uma poetisa intuitiva e plena de sensibilidade. Cezar Lopes.

Ah, o mar! Amar? Ah, o mar!

Sou Mar... e da Alice só carrego os sapatos vermelhos.Marjorie Bier - publicitária e poetisa genial... Seu blog: http://marjoriebier.wordpress.com. Aliás, está no final da página, nos blog's que recomendo...

Tua teoria

…Falo da resposta aos múltiplos olhares… não sei se mantenho (ou se deixo só) aquela tua teoria.Marjorie Bier - publicitária e poetisa genial... Seu blog: http://marjoriebier.wordpress.com. Aliás, está no final da página, nos blog's que recomendo...

Terra Sem Males

Em Terra Sem Males a menina que queria descobrir a verdade saiu a passear. Logo na primeira esquina encontrou uma moça muito simpática que lhe ofereceu um mate. Depois, procurou por seus amigos de infância (é que, ao contrário dela, eles cresceram). Alguns estavam por ali, outros mandaram recados de carinho e de apreço.Dos amores juvenis, pôde sentir o olor, a sensação viva da juventude que os outros perderam, enquanto ela, em seu desejo de amar incondicionalmente, jamais soube o que era perda.A menina reencontrou seus brinquedos e o sorriso de seus pares e, inclusive, acreditou que estava de volta ao paraíso. Essa era sua intenção quando, sem mais delongas, regressou à Terra Sem Males.Porém, os dias foram passando e a menina percebeu, gradativamente, que suas fantasias de outrora eram pequenas, do tamanho da sua idade. E, mais, entendeu que sua Terra Sem Males era linda, mas não podia mais voltar senão por alguns momentos, posto que sua própria condição de menina não passava de um so…

DAS DISTÂNCIAS DO DIA-A-DIA

A SAUDADE EXISTE, MAS, POR UMA CAUSA JUSTA É BOM SENTI-LA POR ISSO LUTAMOS TODOS OS DIAS PARA QUE TODOS OS DIAS FIQUEM MAIS E MAIS BELOS. SÓ ASSIM PODEREMOS FINDAR NOSSAS VIDAS GRITANDO: EU FUI FELIZ DURANTE TODA A MINHA EXISTENCIA!
SIRLENI LOSS LOPES.

O pinguin e o precipício

Não empurraque já estou na beira Tô tentando me cuidar pra não fazer doideira.
André Lopes (10 anos).

Nós - Caos na ordem da ordem no caos

Não fosse a morte das estrelas Deus estaria beeeeeeeeeeeeemmmm solitário.

Cezar Lopes.

Os fios mágicos - 1ª parte

Quando o avô do André estendeu o pano de pratos para secar ele fez uma curva e voou alguns metros até repousar sobre a grama.Percebendo que o menino ria às gargalhadas seu avô riu também, depois puxou um banco e chamou-o para o seu colo.- Muito bem guri, já é chegada a hora de você conhecer mais um dos meus segredos.O menino, sentado no colo do avô olhou-o muito sério, pois sabia que seu avô sempre lhe fazia grandes revelações nesses momentos.- Pois bem, começou o velho, tudo começa no tempo em que os homens viviam em harmonia com os Elfos...Naquele tempo os homens precisavam aprender a conviver, ou seja, a viver em grupo. Essa era a tarefa de todas as criaturas mágicas que existiam e ainda existem, embora já não tenham interesse em se relacionar com os homens. É que o homem ficou poderoso demais, inteligente demais e dessa forma, deixou de enxergar a beleza e a magia da simplicidade, guri.Um dos sonhos mais antigos dos homens sempre foi o de voar. Você, certamente, já sonhou que esta…

Ninguém

A poesia é minha mãe...
Meu pai é o descohecido,
Não fosse por essa mistura,
seria mais um,
Mais um poeta aborrecido...

Kzar.

Tédio

As nuvens do céu refletem
a luz do sol
Que atravessa a atmosfera
Tingindo-a de azul celeste
Tão fugaz quanto a própria vida
Que desaparece quando
a noite chega
Que se recompõe
quando a noite finda।

सज़रलोपेस.

Pode ser injusto

Pode ser injusto, mas o que acontece em poucos dias, às vezes até uma única vez, pode alterar o rumo da vida inteira, Amir.
Baba de Amir jan - do livro O Caçador de pipas.

Preocupações humanas do juízo

O relógio parou
Nem-tic nem-tac!
O tempo acabou
Nem-tic nem-tac!
O mundo parou de rodar
Graças! Eu começava a entontar...

Nem-tic nem-tac!
Nem-tic nem-tac!

E agora? Chegou a hora...
Melhor, acabaram-se todas as horas...
E se eu tiver medo?

Do Seu trono, impassível
Julga com Sua justiça o Eterno
E... Deus!
Creador de tudo o quanto é belo
Por favor, adie minha audiência...
Por quê?
Ora, porque esqueci-me de pôr terno.
O eterno, claro.

Cezar Lopes.