Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

Posso ser insano mas não estou sozinho

Meu Amigo diz   Angela Merkel disse que nenhuma ciumeira de líderes europeus vai resolver a crise orçamental européia, lembrando que é necessário atacar a raiz do problema pela redução da dívida e através de reformas, reforçando sobretudo as restrições à ESPECULAÇÃO. Cezar Augusto Lopes diz Ah pois é... E tem muito especulador que vive disso e só disso. Mas na Europa e nos EUA as pessoas estão acordando do sonho americano para uma realidade nada colorida. Por aqui, por enquanto, ainda se vê a América do Norte como um exemplo a ser seguido... Belo exemplo! Meu Amigo diz Aqui está todo mundo embriagado com as delícias de poder consumir coisas chinesas a preços baixos com a ajuda dos auxílios ao populacho e obras do PAC. Cezar Augusto Lopes diz Bem isso. Dura mesmo vai ser a ressaca. Meu Amigo diz Ja notou que parece que estamos em outro planeta? Tipo, não é comigo. Cezar Augusto Lopes diz Sim. Como se não estivéssemos intrinsecamente ligados pelo sistema financeiro que rege o mund

HAPPY FAMILY

por Marcelo Sguassábia A casa perfeita da família feliz recebia, de dois em dois anos, uma demão de tinta na parte externa e nos madeiramentos. A cada seis meses, dedetização e limpeza da caixa d’água. De 45 em 45 dias, o jardineiro para aparar a grama. Diariamente, a perua escolar e suas duas buzinadinhas regulamentares para buscar filhinho e filhinha. Havia pichações por todo o bairro, menos no imenso muro caiado da casa feliz. Nem sinal de sujeira de pomba, fuligem de queimada ou formigueiro. Asséptica e harmônica em suas formas, a casa feliz era quase música, uma figura etérea em meio à feiúra do quarteirão. Tinha chaminé, cerquinha, floreiras nas janelas e o caminhozinho sinuoso que saía da porta em direção à rua. Como de hábito, após dar lustro à coleção de miniaturas papai colocava os planos familiares em planilhas do Excel. Ali ficava horas com seus cálculos e projeções. Mamãe evocava a proteção divina em preces e cânticos. Depo

Mais

Querem saber mais? Mais de mim? Ora, é fácil e simples Perguntem a si mesmos o que tenho, o que sou enfim, perguntem o valor de sentirem o que sinto o quanto me dói viver sem começo nem fim apenas uma metástase nada mais que uma transição entre o que fui e serei para sempre, ou até que entendam por que sou assim Ou seja... ninguém O Universo sem começo, sem meio e sem mim, ou estou enganado?

Viver

Ele não acreditava em coisas novas. Para falar a verdade, não acreditava, sequer, em coisas velhas. Sua crença se resumia em sua capacidade, no dia-a-dia (ainda se separa assim?), em solucionar problemas. Foi quando apareceu Estela. Meiga, doce, sinuosa, diferente de tudo o que conhecia. Até então, seu mundo se resumia em bit's e flag's. Tudo muito simples. Matemática binária onde um mais um não dá dois, mas zero. Loucura, mas loucura real. Fácil de decodificar, fácil de entender. Contudo, surgira Estela. Que lhe mostrou a vida de uma forma diferente. Não de uma forma mágica, mas de uma forma diferente. Ali, ele tinha o controle da situação, não seu pai, nem sua mãe. E ele gostou disso. Com o decorrer dos dias sua vida foi se modificando. Não por que ele quisesse, mas por que ele precisava. Precisava se libertar, ainda que jamais pudesse admitir, ainda que jamais pudesse dizer francamente. Não tinha essa índole. Não ofenderia àqueles que lhe ofereceram